sexta-feira, 12 de junho de 2015

EMIGRAÇÃO

- Em 2013, terão entrado nos países de destino pelo menos 110 mil portugueses, quase três vezes mais do que em 2001.
- O Reino Unido é o país para onde emigram mais portugueses: 30 mil em 2013. Entre 2012 e 2013, o número de entradas cresceu 47%. 
- A nova emigração portuguesa é mais qualificada do que no passado. A percentagem dos diplomados cresceu mais de 50%, passando de 7%, em 2001, para 17%, em 2011. 
Contudo mais de 60% da população emigrada nos países da OCDE continua a ter apenas a escolaridade básica. Os emigrantes das anteriores vagas da emigração portuguesa, menos qualificados, são ainda muito mais numerosos do que os novos emigrantes. 
- Dos 16 países mais importantes de destino dos portugueses, dez são europeus. A emigração portuguesa é, hoje, uma emigração basicamente europeia. 
- Em 2013 os portugueses foram a nacionalidade mais representada entre os novos imigrantes que entraram no Luxemburgo e em França. Na  Suíça foram a segunda nacionalidade mais representada e no Reino Unido e Brasil a quinta. 
- A França é ainda o país do mundo com maior número de portugueses emigrados, ultrapassando o meio milhão de indivíduos (592.281 em 2011). 
- A Suíça é o segundo país do mundo onde residem mais emigrantes portugueses, em número superior a 200 mil (211.451 em 2013). 
- Os portugueses são a segunda nacionalidade mais numerosa entre a imigração na Suíça (9% dos imigrantes) e a terceira maior população imigrante a residir em França (11% do número total de imigrantes). 
- Mais de um quinto (22%) dos estrangeiros que obtiveram a nacionalidade luxemburguesa em 2013 eram portugueses.
E assim a diáspora vai criando locais onde podem recordar as suas terras, Uma maneira de terem as suas raízes bem próximo!

                                  https://www.facebook.com/profile.php?id=100009713642899







A INFORMAÇÃO REGIONAL


Saber o que acontece a nível local e regional e não apenas em Lisboa ou nos grandes centros é fundamental, para uma maior interação entre as comunidades e os atores locais. A imprensa/média regional são um dos pilares da nossa democracia participativa, porque assume um papel de porta-voz da promoção da grande região onde está inserida. As matérias que publica, a par dos artigos de opinião, são contributos para a preservação de identidades e para o enraizamento, porque liga as gentes à terra onde vivem. Como nenhum outro meio de comunicação, a imprensa/média regional é capaz de vencer fronteiras geográficas na ligação às comunidades. E, uma região só ganha quando tem uma imprensa forte.




https://lafoestv.wordpress.com/

segunda-feira, 1 de junho de 2015

RAÍZES DE UMA POVOAÇÃO





Todos foram viajantes no tempo, alguns nasceram e morreram na povoação, estando todos no entanto inseridos no ciclo da vida. Nos tempos actuais o número de "Antelenses" é diminuto, no entanto vão resistindo às agruras do tempo.
Aos resistentes o meu sincero agradecimento por não deixarem "morrer" Antelas" e manterem vivo o interior de uma povoação.

Portugal e Brasil unidos com troca de afetos em Lafões

Portugal e o Brasil têm inestimáveis laços construídos ao longo de centenas de anos. Países irmãos, cujas histórias se cruzam e entrelaçam c...