domingo, 12 de junho de 2011

Tear-Mantas de Trapos




Lembro-me com saudade da minha avó Laura, a juntar todos os trapos, gastos pelo uso, normalmente peças de roupa que se deixavam de usar, recolhidas de familiares ou de amigos.
Com alguma paciência rasgava o tecido em tiras que posteriormente cosia umas ás outras, originado um novelo que ía aumentando gradualmente. Quando o tamanho do mesmo já era considerável era a tecedeira que entrava em acção produzindo tapetes, passadeiras e mantas multicolores, que embelezavam o interior das habitações.

CINZAS....

A nossa região foi uma das que mais sofreram com os incêndios. Uma recordação bem amarga na mente de todos aqueles que sofreram as agruras d...